Archive | September, 2009

Tecnobrega juice

22 Sep

A marca de sucos do bem™ (já provou a limonada deles??) mandou bem (hehe) mais uma vez.

A direção de arte é do gênio Breno “Hardcuore” Pineshi e o remix brega do Carrapicho é do nosso João Brasil.

Bingo.

Advertisements

Ramiro Musotto R.I.P.

20 Sep

ramiro

Faleceu na sexta feira, dia 11, o grande músico Ramiro Musotto. Reproduzimos abaixo o belo texto que seu amigo e parceiro Lucas Santtana escreveu no Diginóis. Descanse em paz, Ramiro.

“Faleceu hoje ainda muito jovem e para surpresa de muitos, um dos grandes músicos que conheci na minha vida.

Ramiro Musotto nascido em Bahia Blanca – Argentina, se apaixonou pela música Brasileira e por causa dela veio morar no Brasil em 1982, para estudar percussão brasileira com o professor Zé Eduardo Nazário em São Paulo.

Logo em seguida se mudou para Salvador, encantado com a riqueza rítmica do Candomblé e da percussão de rua.

Ramiro era um músico completo, conhecia profundamente toda a liturgia ritimica do candomblé, a ponto de escrevê-la em partitura. Não só do candomblé baiano, quem o conheceu sabe da sua personalidade intensa, tudo que o interessava virava alvo de muito estudo e dedicação até esmirilhar tal informação. Era um professor nato.

Nos anos que se seguiram na Bahia Ramiro tocou e gravou com praticamente todo mundo em Salvador. Produziu um dos maiores discos já produidos lá até hoje, chamado “Um Canto para subir”, de Margareth Menezes”. Esse disco encheu os ouvidos de David Byrne e catapultou a carreira de Margareth no exterior, apadrinhada por Byrne.

É de Ramiro também a produção da faixa “Eu sou Negão” de Gerônimo. Foi a primeira vez que a percussão de um bloco foi programada numa bateria eletrônica e essa música foi um marco divisório no carnaval da Bahia. Foi por causa dela que os trios elétricos adotaram o samba -reggae no seu set.

Além de grande percussionista, Ramiro também era entusiasta tecnológico, ele e Liminha foram as 2 primeiras pessoas no Brasil a ter e pilotar uma mpc, instrumento adotado por diversos músicos nos dias de hoje.

Ele foi um pioneiro do sampler no Brasil e usou e abusou dele em discos do Skank, Caetano Veloso e Gilberto Gil, Marisa Monte, Paralamas do Sucesso, Lulu Santos, Fernanda Abreu, Titãs, Sergio Mendes, Gal Costa, Adriana Calcanhoto, Zeca Baleiro dentre outros, com os quais tocou,  gravou e produziu ao longo desses anos.

Em 2001 Ramiro comeceu seu trabalho solo lançando o disco Sudaka. 

Em 2004 Ramiro empresta todo seu talento na gravação do disco Lenine in Cité, gravado ao vivo em Paris.  E em 2007 lança seu segundo disco: Civilização e Barbárie.

Além desses dois discos Ramiro lançou também o DVD Sudaka ao vivo com a participação de Sacha Ambeck, Leo Leobons, Kabo Duca e Felipe Continentino.

Muitos não sabem, mas Ramiro Musotto re-inventou o berimbau, depois de Nana Vasconcelos foi quem deu o grande passo a frente na modernização do instrumento, transformando-o harmônicamente e em termos de sonoridade, ao utilizar diversos tamanhos e afinações diferentes, além de cabaças de metal.

Adeus meu amigo, parabéns pelo seu rico legado deixado para nós, a música agradece a sua existência.

Que Oxalá estenda um grande pano branco na sua chegada………”

Sonido del Principe

12 Sep

sonido del principe

Já falamos trocentas vezes desse que é um dos grandes nomes da nova cumbia. O nome dele é Sonido del Principe, mas a Cheetah o considera Rei. Amante de heavy metal e do sub grave, Vincent Koreman honra a tradição de Dick El Demasiado e mostra que a Holanda sabe fazer cumbia. No seu caso, uma versão heavy-step-wobbly que o coloca no topo lado a lado de gente como Fauna e El Remolón, ambos argentinos, do americano Uproot Andy e do pioneiro mexicano Toy Selectah.

Mesmo que sua especialidade sejam edits, refixes e remixes, é impossível ignorar as produções de Vince e o entusiamos que ele nutre pela cumbia e pelo global guettotech. Seu blog, Generation Bass (hoje com a contribuição de colaboradores, em especial o DJ UMB), é a bíblia do estilo, fonte diária obrigatória da Cheetah.

genBass_flyerMeio que esquentando pro supa festival que o Generation Bass promove final de semana que vem em Tilburg, na Holanda (e que conta com o nosso João Brasil no line-up!), Sonido del Principe botou pra jogo uma mix repleta com seus edits.

sdp-mix-side1

“For SDP, CUMBIA is not a fad, not a passing moment of South American hipness. CUMBIA is a feeling that grabs your heart. For Sonido Del Principe, it’s CUMBIA 4 LIFE!”

Sonido Del Principe – Cumbia 4 life!

01. el original – me matas (dj andy & sdp edit)
02. kiko de galo – mi morenita rebelde (sdp edit)
03. chief boima – techno rhumba (sdp edit)
04. the peronists – haitiana (sdp edit)
05. el remolon (sdp edit)
06. sdp cumbia guitara edit
07. systeme solar (sdp edit)
08. dj landrea – mi camino (sdp edit)
09. sonido del principe – jozefa matia
10. marcelo fabian – sel y mar (sdp rmx)
11. bomba estereo – fuego (sdp rmx)
12. sonido del principe – boom boom
13. dynamic – this is why i’m hot (sdp rmx)
14. dj panik – ice ice baby (sdp edit)
15. sonido del principe – cumbia del mondo
16. toddla t – full up mi portion (sdp rmx)
17. general levy – champagne body (sdp rmx)
18. suckafish p – cloak & dagger (sdp rmx)

João Brasil na Secousse

2 Sep

secousse-sept09

Our man joão Brasil toca na Secousse dessa sexta-feira, uma das festas mais bacanas de Londres. Não é mole, não! Os planos para a dominação mundial começam nesta sexta!

A Secousse é tocada pela galera do Radioclit (e do The Very Best) e segue uma linha global guettotech com bastante pegada afro. O DJ Vamanos, do blog Guetto Bassquake e ídolo da Cheetah também sempre dá as caras. Marina, ex-Bonde, idem.

%d bloggers like this: