Buraka Som Sistema_entrevista_Perc Pan 2010

27 Sep

Leia a entrevista que o Perc Pan realizou com DJ Riot, um dos membros do Buraka Som Sistema.

– Perc Pan: Vocês espalharam o kuduro pelo mundo quando ainda só tinham um EP editado. Como encararam essa ascensão tão rápida?

BSS: Fomos um pouco apanhados de surpresa, mas encaramos essa ascensão como uma procura mundial de coisas frescas e novas. O mundo estava um pouco saturado de produtos que surgiam sempre dos mesmos pólos de interesse (Nova Iorque, Londres, Paris) e a internet veio abrir horizontes (e ouvidos) que permitiram ao público ouvir coisas interessantes feitas pelo mundo fora. Os Buraka foram apenas um dos fenômenos que surgiram nessa altura. Foi a música certa na hora certa.

– Perc Pan: Podemos dizer que é a versão do Buraka Som Sistema para o kuduro. Que influências acrescentaram ao kuduro original? A que pode ser atribuído o imenso sucesso do kuduro pelo mundo?

BSS: Acho que no nosso caso o Kuduro é apenas uma das nossas influências. Dentro da banda ouve-se heavy hetal, r’n’b, hip hop, rock, drum’n’ bass, techno etc, e nós gostamos de misturar tudo o que faça sentido na nossa música. Por exemplo: se fizer sentido colocar um loop de baile funk num determinado som, nós vamos fazê-lo.

– Perc Pan: Vocês estreitaram as relações culturais entre África e Portugal. Como vêem isso? Como se vêem nessa posição?

BSS: Nós sentimos que somos apenas a ponte entre a cultura pop e a cultura underground africana que sempre existiu e que é muito presente em Portugal, só isso. Não fizemos de propósito mas acabou acontecendo.

– Perc Pan: O funk carioca bebe da mesma fonte do kuduro, a África e a batida eletrônica. O que conhecem e o que acham do funk carioca?

BSS: Assim como no kuduro, os primeiros temas de baile funk foram versões de músicas que vinham de fora. É claro que o Dj Marlboro e a própria Deize Tigrona foram os primeiros nomes a passar a fronteira do Brasil para o mundo. Depois, mais tarde, e num contexto mais de fusão, surgiram nomes como o Bonde do Rolê ou até mesmo o Diplo, que acabaram por despertar mais pessoas para o fenômeno.

– Perc Pan: Qual a expectativa para tocar no PercPan, no Brasil?

BSS: A expectativa é grande! Estivemos juntos com os Mixhell e eles fizeram questão de fazer aumentar as nossas expectativas em relação ao Percpan. Trata-se de uma ocasião única para ouvir alguns dos melhores artistas do mundo e é uma honra estar aí no meio!

– Perc Pan: Caetano Veloso, um músico famoso do Brasil, já incluiu referências do kuduro numa música sua. Souberam disso? Como veem o fato de já haver gente conectada aqui com esse tipo de som?

BSS: Por acaso já tinha visto um video no Youtube ! Acho maravilhoso. Acho que se o Brasil já está aberto ao kuduro e seus derivados. Temos todas as condições para duas datas espetaculares!

– Perc Pan: Vocês são da região da Buraca? Por quê a escolheram para batizar o grupo?

BSS: Eu e o J-Wow crescemos na cidade da Amadora, nos subúrbios de Lisboa. Dentro da Amadora existem diferentes zonas e apesar de eu ser de uma zona chamada Reboleira e o J-Wow ser de uma zona chamada Venteira, achámos que Buraca (que também é outra zona da Amadora) tem um som bem mais engraçado do que Venteira Som Sistema!

O Buraka Som Sistema toca no Perc Pan 2010 nos seguintes dias:

06/10/2010, Canecão (Rio)
07/10/2010, Via Funchal (São Paulo)

Os ingressos estão a venda no ticketronic.com.br (Rio). Maiores infos no site do Perc Pan.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: