Archive | perc pan RSS feed for this section

Novalima_Perc Pan 2010

16 Sep

Não se assuste com o rótulo de “Gotan Project peruano”, algo que certamente, você, leitor, irá se deparar algum dia. É verdade que a banda (afiadíssima) também adapta ritmos folclóricos do seu país, no caso o Peru, à eletrônica de baixos teores. Mas o Novalima é muito mais do que isso! No calderão do grupo, uma espécie de combo afro-peruano eletrônico, tem afrobeat, reggae, salsa e hip hop.

Aqui está um set com cerca de 30 minutos que mostra muito bem a pegada da banda. O set list e os comentários abaixo são dos próprios membros

1.- “La danza de los Mirlos (novalima remix)” *unreleased. Los Mirlos traditional 70’s cumbia reversion by Bareto, cumbia revival band from lima, remixed by novalima)
2.- “Macaco (novalima remix)” *unreleased – Batata y su Son Palenquero , one of the greatest afro colombian artists, our friend Lucas Silva “Champeta Man” gave us the tracks of this great trad song to remix)
3.- “El abuelo (novalima remix) – Bareto” *unreleased. Made popular by Juaneco y su Combo in the 70’s, another cumbia reversion by Bareto remixed by novalima
4.- “Tumbala” (da lata remix) this is a great afrobeat-brazilian remix by chris frank whom we’ve known since the “afro” sessions in london back in 2004, with additional vocals by da lata’s nina miranda. This track digs out cotito’s “lost verse” from tumbala which somehow didnt make it into the original version in the album
5.- “el niche” sabor y control. Our favorite peruvian salsa dura band, led by bruno majer (who sings mujer ajena in coba coba) and constantino, novalima’s timbales player
6.- “bandolero (kv5 remix)” great remix in a jamaican stylee by marc lee from london based kv5. Previously unreleased
7.- bomba (coba soundsystem) this track was the last track we finished before releasing coba coba, coba soundsystem is a.k.a. novalima dj’s rpp,rm,gs. Bomba plena an electro latin dancefloor groove
8.- “tumbala (oreja remix)” seiji’s house rework for tumbala

Nova Lima – Coba Guarango

Nova Lima – Yo voy

O Nova Lima toca no Perc Pan 2010 nos seguintes dias:

30/09/2010, Teatro Castro Alves (Salvador)
04/10/2010, Oi Casa Grande (Rio de Janeiro)

Os ingressos estão a venda no ingresso.com e (Rio) na bilheteria do Teatro Oi Casa Grande. Maiores infos no site do Perc Pan.

Buraka Som Sistema_Perc Pan 2010

15 Sep

Desde que a Cheetah surgiu, em fevereiro do ano passado, não houve uma festa em que não tocassemos Buraka Som Sistema, um dos grupos que mais simboliza esse tal de global guettotech. “IC-19”, “Kalemba (Wegue Wegue)”, “Aqui pra vocês”, “Black Diamond” e o remix deles pra “Gasolina”, do Bonde do Rolê, são verdadeiros hinos nas nossas festas.

Por conta da história deles com o kuduro (são praticamente os embaixadores do estilo), muitas vezes se fala no Buraka como um grupo de origem angolana. Só que na verdade, esse quarteto, formado por Li’l Jon, Conductor, DJ Riot e Kalaf, é português (o nome Buraka vem da freguesia de Buraca, em Amadora, cidade localizada nos arredores de Lisboa). Então, resumindo, o Buraka é um grupo eletrônico português se inspirando numa música eletrônica angolana, produzindo um híbrido que alguns chamam de (rs) kuduro progressivo. Em outras palavras, 1/4 de euro-house, 1/4 de grime e dubstep, 1/4 de rave, e, finalmente, 1/4 kuduro.

Não é a primeira vez deles no Brasil. Infelizmente, quando vieram pela primeira vez , a Macaca hibernava em suas férias. Mas certamente, agora, no Perc Pan 2o1o, será uma oportunidade de vê-los no auge. O Canecão vai tremer! E de kuduro!

Buraka Som Sistema – IC-19

Bonde do Rolê – Gasolina (Buraka Som Sistema remix)

Buraka Som Sistema – Black Diamond

Buraka Som Sistema – Aqui pra vocês

Buraka Som Sistema – Kalemba (Wegue Wegue)

O Buraka Som Sistema toca no Perc Pan 2010 nos seguintes dias:

06/10/2010, Canecão (Rio)
07/10/2010, Via Funchal (São Paulo)

Os ingressos estão a venda no ingresso.com e (Rio) na bilheteria do Teatro Oi Casa Grande. Maiores infos no site do Perc Pan.

T.P. Orchestre Poly-Rythmo de Cotonou_Perc Pan 2010

15 Sep

Foi com lágrimas nos olhos que a Cheetah recebeu a notícia da vinda da Poly-Rythmo ao Brasil (valeu, Zé!). Durante anos o segredo mais bem guardado do oeste africano (Benin), a T.P. Orchestre Poly-Rythmo de Cotonou recentemente se tornou uma das banda mais comentadas no mundo inteiro graças ao trabalho de garimpo de algumas gravadoras. Coletâneas super bem pesquisadas e distribuidas como “The Kings of Benin Urban Groove 1972-1980”, “The Vodoun Effect, Funk and Sato from Benin’s Obscure Label” e “Echos Hypotiques”, só pra citar 3 delas, chegaram aos ouvidos de muita gente boa. O resultado é que hoje, esse conjunto de Benin, com mais de 40 anos de história, é um dos assuntos mais queridos de publicações especializadas e presença garantida no line up dos melhores festivais do mundo.

O som da Poly-Rythmo é uma jam entre James Brown e Fela Kuti recém chegados de uma trip a Cuba tocando muito felizes num ritual de vodu, no Benin. Afrobeat, rock, salsa e outros toques latinos, soukous, FUNK, e as sonoridades típicas das cerimônias de vodu, são alguns dos gêneros em que a Poly-Rythmo passeia. Detalhe: vodu aqui está mais para candomblé do que o imaginário coletivo que a palavra carrega, muito ligado a magia negra.

Em entrevista a Wax Poetics, Melome Clement, fundador da orquestra e um dos seus 10 integrantes, declarou que: “Percussão, sinos e sopros são os instrumentos fundamentais usados nas tradicionais rituais de vodu. Nós simplesmente adicionamos guitarra e teclados, modernizando esses ritmos ancestrais e combinando-os com os gêneros ocidentais que estavam na moda naquela época.

Orchestre Poly-Rhythmo de Cotonou – Agnon Depke

Orchestre Poly-Rhythmo de Cotonou – Noude Ma Gnin Tche De Me

Orchestre Poly-Rhythmo de Cotonou – Gendamou Na Wili We Gnannin

Orchestre Poly-Rhythmo de Cotonou – Mi Ni Non Kpo

Orchestre Poly-Rhythmo de Cotonou – Aihe Ni Kpe We

Orchestre Poly-Rhythmo de Cotonou – Malin Kpon O

Orchestre Poly-Rhythmo de Cotonou – Hwe Towe Hun

A Orchestre Poly-Rythmo toca no Perc Pan 2010 nos seguintes dias:

30/09/2010 no Teatro Castro Alves, Salvador
04/10/2010 no Oi Casa Grande, Rio

Os ingressos estão a venda no ingresso.com e (Rio) na bilheteria do Teatro Oi Casa Grande. Maiores infos no site do Perc Pan.

5 de outubro, Rio, Oi Casa Grande, Percpan 2010

14 Sep

Noite Sopro-Percussiva
5 de outubro, Rio, Oi Casa Grande, Perc Pan 2010

A Noite Sopro-percussiva irá reunir os shows do moderno coletivo mexicano Nortec Collective, uma junção de DJs e vídeo artistas que é considerada uma revolução musical em seu país e da Kocani Orkestar, formação vinda diretamente da Macedônia; além da bahiana Orkestra Rumpilezz, comandados pelo maestro Letieres Leite. Esta noite terá Charles Gavin como mestre de cerimônias.

Nortec Collective (México)

Oriundos de Tijuana, fronteira do México com os Estados Unidos, aquela cidade de reputação duvidosa do filme de Orson Welles ou da música do Manu Chao, que a lei seca lotou de casinos e bordéis, o Nortec (nome que mistura a música norteña, típica do norte do México, com o techno) é uma revoluçao musical no país de Pancho Villa. Esta inusitada união de DJs e videoartistas oferece uma mostra da melhor cena eletrônica mexicana da atualidade.

Letieres Leite e Orkestra Rumpilezz (Brasil)

O maestro Letieres Leite e a Rumpilezz, uma formação de percussao e sopros do nível das melhores big bands de jazz do mundo, deslumbram suas audiências pelo mundo afora. As composições são inspiradas nos toques dos Orixás do Candomblé, nas agremiações percussivas como Ilê Aiyê e nos sambas do Recôncavo.

Kočani Orkestar (Macedônia)


Liderada por Naat Veliov, a orquestra foi fundada na ex-Iugoslávia e é um dos expoentes locais no estilo banda de metais, descendente direta do gênero musical executado por antigas bandas militares turcas. Natural da cidade de Kocani na República da Macedônia, sua música é baseada nas melodias ciganas de várias partes dos balcãs e nos ritmos turcos, com um toque de sabor latino. Sua canção “Siki, siki baba” foi incluída na trilha musical do filme de sucesso « Borat ».

4 de outubro, Rio, Oi Casa Grande, Perc Pan 2010

14 Sep

Noite Três Continentes
4 de outubro, Rio, Oi Casa Grande, Perc Pan 2010

Apresentada por João Barone, a primeira noite, chamada “Noite Três Continentes”, irá trazer para os palcos do Perc Pan o grupo As Tucanas, de Portugal, que reúne cinco mulheres que fazem música através de instrumentos próprios e até de seus próprios corpos; a Orchestre Poly Rhytmo de Cotonou, de Benin, que conquistou a admiração e o apoio de músicos de várias tendências, como Franz Ferdinand; e o grupo peruano Nova Lima, uma das mais importantes manifestações da música negra de seu país.

As Tucanas (Portugal)


O grupo é formado por cinco mulheres portuguesas que não podiam faltar nesta nova edição do Percpan. Com músicas próprias, que elas interpretam desde 2001, seu som é formatado com bidons (reservatórios) de plástico, cabaças de água, surdos, agogôs, djembés… e seus próprios corpos, usados como instrumentos. Ana Cláudia, Catarina, Mónica, Sara e Marina fazem uma música alegre, divertida e orgânica. Elas falam em “percussão criativa no feminino”.

Orchestre Poly Rythmo de Cotonou (Bénin)

Lendária orquestra da cidade de Cotonou, no Bénin, que usa os ritmos vodu que viajaram do Golfo da Guiné para o Haiti. A orquestra gravou agora um novo disco – seu primeiro trabalho em vinte anos – e virou uma das sensaçoes da mídia musical européia, que fala do ‘segredo musical mais bem guardado da África’. Admirada por Franz Ferdinand, que participou do novo disco, seus ritmos representam a mistura do funk e do soul.

Novalima (Peru)

É um dos grupos mais importantes da música afroperuana. Formado em 2001, é o resultado da reunião de quatro jovens músicos cosmopolitas com alguns dos melhores músicos tradicionais da comunidade negra, para criar uma fusão entre as antigas canções dos escravos e os recursos da música moderna. Depois de “Novalima” (2002), “Afro” (2005), melhor disco de fusão “world” nos prêmios Independent Music Awards 2006, chegam para apresentar “Coba Coba” (2008), uma edição Cumbancha onde os ritmos afroperuanos se cruzam com diferentes músicas latinoamericanas, dub reggae, house e eletrônica.

%d bloggers like this: