Tag Archives: baile funk

Wolfram Lange

19 May


A pedido da Cheetah, nosso amigo Wolfram Lange, o Wolf, fez uma seleção de sons que não podem faltar em seus sets. Wolf, você sabe, toca junto com a Dancing Cheetah na Clap! de amanhã, 20 de maio. Os comentários em baixo de cada vídeo são assinados pelo próprio Wolf


meu hit Nº1 e um clássico do tropical bass


essa cumbia digital de um dos protagonistas do selo ZZK, de Buenos Aires, me fez ficar alucinado pelo estilo


uma das bandas mais clássicas de cumbia villera


um miniset de tribal guarachero/ technocumbia do cara mais bombado de Monterrey. E isso com apenas 17 anos!


mistura excelente entre reggaeton e merengue, de Porto Rico


um eletro melody/ tecnobrega bem na onda do Maderito & Joe, os caras mais inovadores do Pará hoje em dia


um conscious funana do cabo verdiano Izé


a maior estrela musical de Moçambique com uma música no estilo marrabenta


dois veteranos do kuduro juntando forças


funk carioca não pode faltar! E esse mashup com batucada é muito legal!

Se você curtiu os vídeos acima, não perca o set do alemão Wolf na Cheetah/ Clap! desta quinta. E fique sempre ligado no que ele posta em seu blog, o SoundGoods. Vira e mexe, o Wolf grava umas mixtapes temáticas muito boas. Tem de cumbia villera, de funk carioca, de tribal guarachero, de kuduro

Frikstailers na Dancing Cheetah – 26/01/2010

25 Jan


Nesta terça, a Dancing Cheetah orgulhosamente apresenta, diretamente de Cordoba, Argentina, o duo de cumbia digital Frikstailers. Quem lê o blog da Cheetah sabe que o rótulo “cumbia digital” abrange uma série de ritmos eletrônicos, além de hip hop, dub, dancegall, reggaeton, e, no caso dos Friks, muito baile funk!

Formado por Rafael Caivano e Lisandro Sona, o Frikstailers é um dos principais expoentes da nova cena de cumbia argentina. Já passaram por alguns dos mais importantes festivais de música em seu país de origem (Mutek Buenos Aires, Creamfields Buenos Aires, NiuFest!!!), além dos internacionais QuboCultural.Zip (Guadalajara – 2006), ExperimentaClub Festival (Madrid – 2007) and SXSW Festival (Austin, Texas).

Ouça aqui três petardos do Frikstailers e não deixe de perder  a  Cheetah especial de amanhã. O baile vai ser esquizofrenico!

Frikstailers – Baile frik
Frikstailers – Ta duro kuduro
Frikstailers feat. MC Maiquinho – Tô com saudade

Daniel Haaksman

19 Oct

gostoso
Daniel Haaksman feat. MC Miltinho – Copacabana

Daniel Haaksman feat. MC Miltinho – Kid Conga

gostoso ep

O trabalho do alemão Daniel Haaksman na divulgação do baile funk no exterior já não é mais surpesa pra ninguém. Ao contrário do que dizem por aí, ele é o legítimo embaixador do funk carioca na gringa. O que talvez surpreenda alguns é que ele é um produtor de mão cheia. Sem exageros, ninguém no mundo tem feito tracks com a pegada do baile tão inspiradas e originais como o cara. Corre atrás do Gostoso EP, lançado há alguns meses e diz se a Cheetah tá errada.

Daniel Haaksman – Pobum Coco

Daniel Haaksman feat. MC Miltinho – Kid Conga (João Brasil Tecnobrega Remix)

OBS: o remix do nosso símio JB garimpou presença no Gostoso Remix EP!

Vinicius de Moraes goes baile tech

3 Oct

Muito foda o baile tech do argentino Doma Tornados, membro do coletivo Hipi Duki, que junta a voz de Vinicius de Moraes em Os acrobatas ao pancadão do funk.

Os acrobatas – Vinicius de Moraes

Subamos!
Subamos acima
Subamos além, subamos
Acima do além, subamos!
Com a posse física dos braços
Inelutavelmente galgaremos
O grande mar de estrelas
Através de milênios de luz.

Subamos!
Como dois atletas
O rosto petrificado
No pálido sorriso do esforço
Subamos acima
Com a posse física dos braços
E os músculos desmesurados
Na calma convulsa da ascensão.

Oh, acima
Mais longe que tudo
Além, mais longe que acima do além!
Como dois acrobatas
Subamos, lentíssimos
Lá onde o infinito
De tão infinito
Nem mais nome tem
Subamos!

Tensos
Pela corda luminosa
Que pende invisível
E cujos nós são astros
Queimando nas mãos
Subamos à tona
Do grande mar de estrelas
Onde dorme a noite
Subamos!

Tu e eu, herméticos
As nádegas duras
A carótida nodosa
Na fibra do pescoço
Os pés agudos em ponta.

Como no espasmo.

E quando
Lá, acima
Além, mais longe que acima do além
Adiante do véu de Betelgeuse
Depois do país de Altair
Sobre o cérebro de Deus

Num último impulso
Libertados do espírito
Despojados da carne
Nós nos possuiremos.

E morreremos
Morreremos alto,
imensamente
IMENSAMENTE ALTO.

Rapidinhas #6

12 Aug

— Marta la reina —

O merengue Marta la reina, do dominicano Anthony Santos, é um dos preferidos da Cheetah. Quem ouviu a mixtape 2 ( a.k.a. Tropicaliente) sabe disso. Pois não é que a macaca descobriu que original é uma cumbia colombiana dos anos 70! Los Junior’s de Colombia é o nome do grupo, super obscuro, autor dessa pérola do cancioneiro tropical. A macaca perdeu uma madrugada buscando o mp3 da pepita e… nada… Bom, ao menos no YouTube dá pra ouvir mais músicas do disco, que tem o sensacional nome de Rebelion Cumbiera!

Anthony Santos – Marta la reina

— Baile Funk & Kuduro —

Casamento perfeito, não? Culpa do português Lucana. Bomba.

— DJ Znobia no Rio —

Dj_Znobia2


Dança do tchiriri, o kuduro mais famoso de todos os tempos, uma produção do DJ Znobia

Um dos grandes produtores de kuduro, DJ Znobia virá ao Rio para uma apresentação no dia 29 de agosto, na Estação Leopoldina. A gig faz parte do evento Back to Black, que trará ao Brasil vários artistas, intelectuais e ativistas africanos para uma série de palestras e shows. Mais sobre o festival e principalmente sobre o Znobia muito em breve. Stay tuned.

— Trumpet & Balkan Madness —

Gucastatue

Do dia 5 ao 9 de agosto, rolou na vila de Guca, na Sérvia, o maior festival de trumpetes do mundo! Desde que o príncipe Milos Obrenovic fundou a primeira banda militar da região de Dragacevo, o povo se tornou fanático pelo som dos metais, especialmente o trumpete. Há 49 anos Guca hospeda o Dragacevo Trumpet Gathering, festival que esse ano teve apresentações de mais de 1500 artistas e que recebeu cerca de 500 mil turistas.

— Dancing Cheetah Boney M —

boney_m

Formado na Alemanha pelo cantor e produtor Frank Farian, o Boney M foi um dos maiores nomes da disco music dos anos 70/ início dos 80. O que diferenciava o grupo dos demais (bom, pelo menos entre os que estavam no mainstream) era o flerte com a música africana e caribenha. Em 10 anos de história, o Boney M vendeu incríveis 150 milhões de discos.

— Dizzee Rascal ensolarado —

Esqueça o grime soturno dos becos frios e chuvosos de Londres, o negócio é mergulhar no verão com altas gatas. Né, Dizzee?

Dancing Cheetah 21/07 – DJ Chernobyl

19 Jul

CHEETAH-3

chernobyl

O convidado de honra da próxima Cheetah, dia 21, é o gaúcho Fredi Endres, o DJ Chernobyl. Pra quem não sabe, Chernobyl, em 1995, deu um sacode geral no funk carioca quando inseriu guitarras e atitude rocker ao batidão. Quem aí não se lembra de Detetive, da banda de Chernobyl Comunidade Nin-Jitsu?

Comunidade Ninjitsu – Detetive

Logo depois o Edu K entrou na vibe com a sua “Popuzuda” e o funk carioca nunca mais seria o mesmo.

N.A.S.A. – Watchadoin (DJ Chernobyl Bailemix)

Dj Chernobyl – Chatuba de Mesquita (Montagem 2009)

Além de gigs pelo mundo todo como DJ, Chernobyl está envolvido na produção do novo disco do Bonde do Rolê (banda que ele descobriu, produziu e apresentou ao Diplo) e no projeto de electro-rock Brollies and Apples.

Brollies & Apples – Rented Dreams

Lembra a entrevista que o Fabiano Moreira, do Agemda, articulou entre o Chernobyl e o Edu K? Pois é. Agora é a vez do Edu entrevistar o Chernobyl!! (roubado do Agemda).

Edu K – Primeira (e mais importante): qual a importância e influência do Luisinho Louie na tua vida?
Chernobyl – O Luizinho (um velho rockeiro da antiga daqui de Porto Alegre…Ele é bem freaky, doidão, não diz mais nada com nada) me ensinou o poder das maracas, o balanço rockeiro, o preto no branco, o branco no preto. Ele também me ensinou que o triângulo tem um som mais bonito quando é tocado com uma baqueta de metal. Hahahaha!

E – Como é que tu consegue fazer as putas mixes que tu faz, usando caixinha de computador como referência? Baita mestre! Ah e, by the way, quer comprar um par de monitores Samson por 700 pilas? Hahahah!

C – Haha! Não uso caixinhas de computador como referência, uso um fone que conheço bem o som dele. Sei a medida certa que ele engana no grave e tudo que ele exagera no volume de vozes. À tarde, ligo meu notebook nas caixas do meu aparelho de som Sony, com caixas de madeira, e confiro as mixagens sem e com boost grave com minhas orelhas, na mesma altura que as caixas, a um metro de distância, depois vou até a cozinha, fazer um Nescafé, ouvindo o som de trás, como se eu estivesse em um backstage ouvindo um DJ.
O som tem que ser bom de todas as maneiras possíveis. Depois, passo o track pra cd e dou um rolê de carro, e se a mix é muito responsa, (vai sair na gringa), eu peço uns 15 minutos pra ouvir em um estúdio fodão que tem perto da minha casa. É uma maneira estranha, mas sempre acerto. Normalmente, não preciso retocar nada depois de ouvir em estúdio. O dinheiro que eu tinha guardado pra comprar teus monitores gastei todo em comida tailandesa. Se rolar uma grana extra, inesperada, eu compro.

E – Quando é que tu vai fazer um disco de Neo Baile Funk com o George Clinton e qual vai ser o carro-chefe?
C – Pois é…acho que ta mais fácil eu fazer com o Bill Clinton… Afinal, o 2 Live Crew botou um diálogo dele com a Monica Lewinski na introdução de Me So Horny. Mas, se eu fosse samplear George Clinton pra fazer baile-funk, eu não saberia nem por onde começar.

E – Quando a tua nova banda Brollies & Apples ficar rica e famosa (que isso vai rolar certo) posso ser teu roadie e viajar o mundo desafinando a tua guita? Huahauhau!
C – Claro que pode. Te pago em balas, chicletes, doces, guloseimas e Fanta d’uva.

E – Como que tu permite que um DJ K-fageste toque minimal na tua festa que se chama Maximize? hahauahuahu!
C – A melhor maneira de maximizar ao extremo é aceitar todo tipo de som que é bem mixado. Até o minimal entra no liquidificador sonoro da festa. Mas o teu minimal é neo-minimal tropical house in full effect, muito melhor do que aquele chato minimal dos anos 2000, o teu é pós, pós… Aquele que minha turma de amigos de Berlim adora.

Dancing Cheetah_3º temporada – EDU K; 7 DE JULHO

30 Jun

CHEETAH-1

E lá vai a Cheetah para mais uma temporada, a 3º. O esquema é o seguinte: toda terça de julho, Pedro Seiler, João Brasil e Chico Dub estarão na Casa da Matriz recebendo um ou dois convidados a cada semana. É uma volta ao nosso habitat original, com duas pistas e aquele fumacê que a gente gosta tanto. Os convidados tão sinistros:

7 de julho – Edu K (De Falla/ Man Recordings)
14 de julho – Marcelinho da Lua / La Rica
21 de julho – DJ Chernobyl (Comunidade Ninjitsu/ produtor Bonde do Rolê/ Brollies & Apples)
28 de julho – Go East/ Dj Vivi Caccuri

eduk

Nem a Cheetah e seus instintos símio-felinos consegue imaginar o quão animalesca vai ser a união do João Brasil com o Edu K, na pista de baixo. Esse encontro já estava pra rolar faz tempos – precisou que a macaca intervisse pra ele finalmente acontecer! Pois então, dia 7, não perca por nada a estréia das Cheetahs de julho com o mestre Edu K.

Camaleão; o cara que entrou com uma meia no dito cujo durante o Hollywood Rock de 1993; ao lado de Chernobyl e sua Comunidade Ninjitu, criou o novo funk; um dos embaixadores do baile funk na Europa. Provavelmente você já ouviu tudo isso, mas é sempre bom reforçar: Edu K é uma lenda!

edu-k

Como era de se esperar, sua onda agora é outra, não mais o funk carioca. É uma espécie de minimal house africana, se é que existe isso. Antes dos habituais presentinhos, todos nessa pegada, vamos lembrar alguns clássicos que não podem faltar no baile global da macaca, que, óbvio, vai ser animal!

De Falla/ Edu K – Popozuda Rock and Roll @ Sabadão do Gugu (!!!)

Edu K – Gatas Gatas Gatas

Edu K feat. Marina – Me bota pra dançar

Major Lazer – Hold the line (Edu K rmx)

Idiot Savant (A.K.A. Edu K) – Jumping n’ pumping

Seguindo Sonhos – Vamos Mecher (Edu K rmx)

O amigo da macaca Fabiano Moreira tá com uma bela cobertura da festa no Agemda. Tem um monte de fotos do DeFalla (banda antiga do mestre) em seu post, remix para o Killer on the Dancefloor lançado em primeira mão, e uma entrevista com o Edu K realizada pelo Chernobyl!

%d bloggers like this: